Casos de SVC, síndrome visual do computador, teve aumentos durante a pandemia | Foto: Divulgação
A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio COVID-19 (PNAD) do IBGE, realizada em julho deste ano, foi revelado que dos trabalhadores de carteira assinada que faziam uso da prática do home-office antes da pandemia, saltou de 3%, para 12% em um período de um ano. Também foi indicado que a preferência por essa modalidade cresceu, mas a falta de um horário fixo para iniciar e terminar o expediente está levando a maioria das pessoas a porem em risco a sua saúde ocular. Mas já se sabe que o olho é órgão mais afetado pelo trabalho online.
O cansaço visual é identificado como Síndrome da Visão de Computador (SVC), esse tipo de mal-estar na vista é derivado do uso inapropriado da mesma, e, como sabemos, nunca foi saudável passar tanto tempo diante das telas digitais. Isso ocorre devido ao fato de o olho ser bombardeado com mais de 16,7 milhões de cores geradas pelas telas de computadores e celulares. No entanto, sem contarmos com o uso durante o expediente de trabalho de 8 oito horas, quando se trata do uso recreativo fora desse horário, o número é bem maior, pois as telas eletrônicas dificultam manter o foco, porque as imagens e textos são formados por pixels que têm o centro mais brilhante que as bordas.
Toda essa variação de cores e luminosidade, causa o sobrecarregamento da musculatura que regula a entrada de luz até a retina, seguindo para o nervo óptico, até chegar no cérebro, onde se forma as imagens que enxergamos. Permanecer horas a fio na frente de uma tela, além da CVS, provavelmente vai causar a síndrome do olho seco evaporativo também. Ocorrendo normalmente porque piscamos 20 vezes por minuto. Mas na frente dos monitores de 6 a 7 vezes. Por exemplo: a cada 20 minutos de trabalho on-line, piscamos entre 120 e 140 vezes, porém o normal é a taxa de 400 piscadas durante esse período.
O resultado dessa gama de fatores é a Síndrome Visual do Computador, que além do olho seco, tem como sintomas vermelhidão nos olhos, visão embaçada e a cefaleia, mais conhecida como dor de cabeça. Para diminuir o desconforto é necessário usar colírio lubrificante até quatro vezes ao dia. Entretanto, se a visão embaçada continuar por mais tempo o indicado é se consultar com seu oftalmologista, para uma checagem de alguma mudança no grau do óculos ou alterações que possam vir a ocorrer.
Outro fato assustador é que SVC na faixa etária dos 40 anos, 90% das pessoas podem ter a síndrome, esse aumento é causado pela presbiopia ou dificuldade de enxergar de perto, decorrente da perda de flexibilidade do cristalino para alternar a focalização das imagens próximas e distantes. Aos 50 anos quando o cristalino começa amarelar e a visão de contraste diminui.
Porém a SVC pode ser prevenida com práticas básicas: posicionamento do monitor entre 50 a 60 centímetros do olho, iluminação boa e geral, limpeza da tela do computador contra a poeira, utilizando o filtro antirreflexo do computador, piscar voluntariamente e descansos periódicos para os olhos, cabeça e corpo, que ficam em grande parte do tempo imóveis durante o uso do computador.
Para continuar usando tranquilamente o seu computador, é importante procurar seu oftalmologista e veja se não está com problemas oculares ou necessitando de óculos (ou de óculos novos). E se for preciso óculos especiais para pessoas de mais idade que usam o aparelho para trabalhar, o seu médico pode prescrever os óculos corretos para você. Além do exame dos olhos, o seu oftalmologista poderá diagnosticar se o desconforto que você sofre com o uso do computador é devido ao simples cansaço visual (que não traz outros problemas), ou se outras doenças estão presentes.
Por Renata Vasconcelos, oftalmologista.