Meio AmbienteNotícias

Calota polar ártica em seu segundo nível mais baixo já registrado, segundo centro dos EUA

A calota polar ártica registrou sua menor área de superfície neste verão boreal desde que os registros começaram há 42 anos, disseram cientistas americanos nesta segunda-feira (21).

A área mínima foi medida em 15 de setembro, em 3,74 milhões de km2, de acordo com o National Snow and Ice Center (NSIDC) da University of Colorado Boulder.

A calota polar ártica é o manto de gelo que se forma no mar nessas altas latitudes e, a cada ano, uma parte dele derrete no verão para se formar novamente no inverno.

No entanto, com o aquecimento global, a cada verão uma porção maior se derrete e não consegue ser reconstruída no inverno, reduzindo cada vez mais sua superfície.

Os satélites observam essas áreas com muita precisão desde 1979 e a tendência de queda é nítida.

“Foi um ano louco no norte, com o gelo marinho quase no nível mais baixo da história, ondas de calor na Sibéria e enormes incêndios florestais”, disse Mark Serreze, diretor do NSIDC.

“Estamos caminhando rumo a um Oceano Ártico sem gelo sazonal”, lamentou.

O degelo não contribui diretamente para o aumento do nível do mar, já que o gelo já está na água, mas o faz indiretamente, porque quanto menos gelo, menos os raios solares se refletem e são absorvidos em maior quantidade pelos oceanos, aumentando sua temperatura.

Foto: Reprodução

Tags
Exibir Mais

Brenda Bezerra

Estudante de publicidade e propaganda, produtora de moda e criadora de conteúdo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estúdio Ao vivo

Abrir Rádio
Fechar