Washington (AFP) – Brian Nichols é o novo chefe da diplomacia dos Estados Unidos para a América Latina e o Caribe depois que sua nomeação finalmente recebeu luz verde do Senado. É o primeiro afro-americano nessa posição em mais de quatro décadas. O Senado confirmou Nichols, de 56 anos, por aclamação na segunda-feira (13) como subsecretário de Estado para Assuntos do Hemisfério Ocidental, seis meses depois de ser nomeado pelo presidente Joe Biden e após um bloqueio da oposição republicana às aprovações de cargos diplomáticos nomeados pelo governo democrata. “Com ampla experiência nas Américas, o embaixador Brian Nichols, oficial de carreira do serviço estrangeiro, avançará habilmente os interesses nacionais dos Estados Unidos” na região, disse o senador democrata Bob Menendez. Na sessão plenária do Senado, Menéndez, presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara Alta, destacou os desafios que a América Latina e o Caribe apresentam para a segurança nacional dos Estados Unidos.Ele destacou a situação no Haiti, que enfrenta os efeitos de um devastador terremoto após o assassinato do presidente em julho, além dos recentes protestos sem precedentes em Cuba, a intensificação da repressão estatal na Nicarágua e uma crescente crise política, humanitária e socioeconômica na Venezuela. “A pandemia de covid-19 continua causando graves consequências sociais e econômicas nos países da região. E há desafios permanentes de segurança e governança na América Central que alimentam a migração irregular”, acrescentou Menéndez, descendente de cubanos. Nichols fala espanhol fluentemente e tem vasta experiência na América Latina. Iniciou sua carreira no Peru em 1989 e foi embaixador deste país de 2014 a 2017. Também foi subchefe da missão da embaixada na Colômbia entre 2007 e 2010, conselheiro político adjunto no México (1998-2001) e oficial político em El Salvador (1991-1993). No Departamento de Estado, supervisionou uma ampla gama de programas relacionados a drogas e chefiou os escritórios de Assuntos do Caribe e Assuntos da América Central.O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA) Luis Almagro o parabenizou em um tuíte no qual dizia que espera “continuar a parceria entre os Estados Unidos e a OEA para promover mais democracia, direitos humanos, desenvolvimento sustentável e segurança para todos nas Américas.” Nichols, que se manifestou veementemente contra a brutalidade policial nos Estados Unidos após a morte de George Floyd em maio de 2020, é o primeiro diplomata negro subsecretário de Estado para Assuntos do Hemisfério Ocidental, depois de Terence Todman entre 1977 e 1978.