Londres (AFP) – O primeiro-ministro britânico Boris Johnson prometeu, nesta terça-feira (19), uma “revolução verde” em uma cúpula de investimentos com a qual busca captar bilhões em financiamento, a poucos dias do início da cúpula sobre o clima em Glasgow.”Este é o plano: uma revolução industrial verde, impulsionada pelas novas liberdades do Brexit”, defendeu diante de uma equipe de dirigentes liderada pelo fundador da Microsoft e filantropo Bill Gates e a diretora da Organização Mundial do Comércio (OMC), Ngozi Okonjo-Iweala, reunidos em uma Cúpula de Investimento Global em Londres. “Nesta sala se reúnem 24 trilhões de dólares. Quero dizer a cada um desses dólares: são bem-vindos no Reino Unido”, brincou, acrescentando que o país pretende aproveitar sua capacidade de atrair investimentos “para tomar um novo rumo”.Johnson, que quer que o Reino Unido alcance a neutralidade do carbono em 2050, se prepara para receber os líderes mundiais na COP26, a cúpula da ONU sobre a mudança climática que acontecerá na cidade escocesa de Glasgow de 31 de outubro a 12 de novembro. O primeiro-ministro considera que o investimento verde é essencial para o crescimento da economia britânica, duramente afetada pela pandemia de coronavírus e pelo Brexit. Na véspera desta Cúpula de Investimento Global, seu governo anunciou na segunda-feira que o gigante espanhol da energia elétrica Iberdrola investirá 6 bilhões de libras (8,2 bilhões de dólares, 7,1 bilhões de euros) no Reino Unido para criar seu maior projeto de energia eólica offshore. O projeto, planejado por meio de sua filial Scottish Power na costa leste da Inglaterra e ainda pendente de autorizações regulatórias, deve fornecer energia suficiente para abastecer 2,7 milhões de casas e criar 7.000 empregos, afirmou Johnson.O investimento do grupo espanhol é o maior de uma série de 18 operações, por um valor total de 9,7 bilhões de libras, com potencial para criar 30.000 empregos, decididas no marco desta reunião empresarial.Nesta terça-feira, Johnson e Gates anunciaram também um investimento de 400 milhões de libras ao longo de dez anos, dos quais metade será ofertada por um programa de investimento dirigido pelo bilionário americano e a outra metade pelo governo britânico, para financiar “a próxima geração de tecnologias de energia limpa”.O governo de Johnson deve apresentar nessa semana sua estratégia de neutralidade do carbono, voltada para medidas de desenvolvimento de energias renováveis de produção nacional e para a transição energética.