Presidente Jair Bolsonaro com os ministros Paulo Guedes, Gilson Machado durante o anúncios do ministério do turismo: Sistema de avaliação de Impacto ao patrimônio Guia Brasileiro de Sinalização Turística. Sérgio Lima/Poder360 10.06.2021

Na noite desta terça-feira (15), o presidente da república Jair Bolsonaro (sem partido), afirmou que o auxílio emergencial deve ser prorrogado por mais 2 ou 3 meses. Ainda segundo o presidente, o valor destinado a população será por volta de R$ 250.

Em entrevista à SIC TV, afiliada à RecordTV Bolsonaro afirmou, “Na situação de emergência que vivemos no tocante ao auxílio emergencial, você pode gastar um pouco mais sem se enquadrar no teto. Estamos no segundo mês de prorrogação do auxílio emergencial, teremos mais duas ou três parcelas de auxilio emergencial de média de R$ 250.”

A declaração do presidente confirma o que o ministro da Economia, Paulo Guedes, contou nesta segunda (14) em entrevista ao UOL. Segundo ele, o governo deve prorrogar o auxílio emergencial por mais três meses, mas a decisão final do número de parcelas será definida pelo presidente e pelo ministro da Cidadania João Roma, com base no ritmo da vacinação dos brasileiros.

Se toda a população maior de 18 anos for vacinada até o fim de setembro, o auxílio teria mais duas parcelas. No entanto, se a vacinação fosse estendida até o fim de outubro, o benefício contaria mais três parcelas.

Bolsa Família 

Na entrevista, o presidente também afirmou que pretende aumentar o valor do Bolsa Família, em dezembro. Segundo ele, o crescimento seria de 50% do valor atual.

“Tivemos inflação durante a pandemia e a ideia é dar um aumento de 50% ao Bolsa Família, para sair de R$ 190 para, em média, R$ 300. Isso está praticamente acertado aqui. Nós sabemos da dificuldade da população, então, a equipe econômica praticamente já bateu o martelo”.