Foto/Reprodução: Internet

A rapper Karol Conká é o atual centro da polêmica do reality BBB 21

Xenofobia 

O modo como a artista se referiu ao jeito de conversar da paraibana Juliette Freire, gerou polêmica e repulsa nas redes sociais. Na última sexta-feira, 29, foi acusada de Xenofobia, pois associou o comportamento da participante ao lugar onde ela nasceu. “É o jeito, lá na terra dessa pessoa é normal falar assim”, contou. “Eu sou de Curitiba, é uma cidade muito reservadinha.”

Tortura psicológica e cultura do cancelamento

Também após o ator Lucas Koka Penteado protagonizar uma briga com Kerline e ter implicado discussões com quase todos os participantes na última festa, a artista liderou a frente do “cancelamento” do Brother.

Na última segunda-feira, 1° de Fevereiro, ela falou que faria “tortura psicológica” contra ele e fez o ator deixar a mesa da cozinha no momento em que iria almoçar.

Na hora de comerem, Conká expulsou Lucas da mesa e falou que ele só poderia se sentar no momento em que ela saísse do local. “Quero comer na paz do senhor, entendeu? Não quero que você fale enquanto estou comendo. Me respeita”, começou.

Koka perguntou se ela estava falando com ele e depois pediu desculpas ao sair. “Você não sabe calar a boca então é melhor sair mesmo. Não desculpo. Vá à merda, se faça de louco lá fora, pede para sair. Já deu”, retrucou a cantora.

Na sequência, com Lucas já dentro do quarto, a cantora continuou a esbravejar aos outros colegas na cozinha.

“O cara não cala a boca. E eu não vou chamar ninguém para comer, ele que adivinhe a hora que eu terminar. Se fosse louco não estava aqui dentro. Só vai comer quando eu sair da mesa, qualquer coisa me bota no Paredão”, emendou. “Se ele faz tortura psicológica também posso fazer”, apontou.

Resposta: Internautas, celebridades e telespectadores repudiam as atitudes da cantora e julgam ser “assédio verbal”

As atitudes da artista estão gerando repercussão não só entre os internautas, mas também em dezenas de celebridades. Na noite de segunda, a ascensão da tag #KarolExpulsa estava em vigor no Twitter, impulsionada por pronunciamento de artistas.

“A Karol com k teve a audácia de perguntar onde estava Deus o amigo do Lucas??? Mano quando ela for pro paredão eu faço questão de fazer um mutirão pra ela sair, quem topa?”, publicou Ludmilla. 

O cantor Emicida, parceiro dela no rap nacional, usou o Twitter para atrelar o nome de Karol a emojis de tristeza. A atriz Ingrid Guimarães disse que não estava conseguindo assistir aos vídeos de Conká, pois “não trabalha bem com perversidade”. Também, Jojo Todynho disse que não seguirá mais a cantora.

Além do mais, sua ex-empresária, Drica Lara fez um desabafo sobre a rapper:

“Hoje acordei com um número significativo de pessoas entrando em contato! Somente por isso vou escrever sobre! Entendo totalmente o público em choque! Não entendo a ‘surpresa’ de quem era/é próximo! Como assim não imaginava, não sabia? Sabia, sim! “Estou verdadeiramente dispensando texto de alívio de consciência sobre o ser! Se não esteve comigo ou não acreditou lá atrás, não faz sentido vir retomar agora. E já que resolvi falar, lá vai, e a quem não gostar, a porta da rua é serventia da casa: o ‘talento’, o gênero ou a cor não justifica o mau caráter”, desabafa.

Drica ainda afirma que Karol inventou histórias para prejudicar sua carreira.

“Foram anos de perseguição, nesse tom que vocês estão vendo! Fui aniquilada profissionalmente, difamada e chamada em rede nacional de incompetente e racista! Pensa, na minha área, música, no gênero rap, a maior representante falando para todos que oportunidade as histórias distorcidas que ela mesma criava”, relembrou.

A empresária também detalhou os desgastes psicológicos que diz ter enfrentado por conta da artista. 

“Passou! Sobrevivi a uma depressão que me tomou um ano. Me reergui com apoio do meu marido, família e poucos amigos que sobraram à devastação! No rap, quem me salvou foram três mulheres que são grandes amigas até hoje: Flora Matos, Carla Arakaki e Deborah”, citou.

Por fim, ela afirma que não se sente bem vendo a forma com que Karol trata os participantes, e que se lembra de como era tratada por ela.

“Imaginei que um dia isso poderia acontecer. Muito mesmo! Mas para a minha surpresa, não está sendo prazeroso, não estou de alma lavada, e só resgatou alguns sentimentos que eu não sentia há muito tempo. Então se você não trocou palavras comigo há mais de três anos, não vem de texto para sua consciência ficar mais tranquila, ok?”, concluiu Drica.

A repercussão tem se refletido no perfil da cantora. Entre domingo, 31, e esta terça-feira, 2, ela já perdeu mais de 300 mil seguidores em seu perfil no Instagram – caindo de 1,8 milhão para 1,5 milhão. Antes com publicações praticamente diárias, a conta da artista pouco tem se pronunciado sobre as situações.

O comportamento também já começa a impactar a carreira da cantora: a organização do Rec Beat Festival, que exibiria conteúdo gravado por ela, afirmou que está repensando a exibição devido aos comentários feitos na casa.

“Acompanhamos as últimas declarações de Karol Conka no ‘BBB21’ e reafirmamos nossa total e absoluta discordância de suas atitudes, que vão contra os princípios basilares do Rec-Beat e do nosso público”, declarou a produção do evento.

O festival informou ainda que a decisão pelo cancelamento foi tomada em comum acordo com a produção da artista.

Foto/Reprodução Internet
Foto/Reprodução: Internet