Tegucigalpa (AFP) – Uma aliança de esquerda liderada por Xiomara Castro, esposa do presidente deposto Manuel Zelaya, enfrentará Nasry Asfura, candidato do partido no poder, nas eleições em Honduras em 28 de novembro, anunciaram seus líderes nesta quarta-feira (13).”Estou honrado porque teremos, pela primeira vez em Honduras, uma presidente mulher”, afirmou Salvador Nasralla, do Partido Salvador de Honduras (PSH, centro-direita), em entrevista coletiva, ao anunciar a aliança com Castro.Por sua vez, Castro, do partido Liberdade e Refundação (Livre, esquerda), garantiu que, com esta aliança, coloca-se um “ponto final” no que chamou de “ditadura”, referindo-se ao governo de Juan Orlando Hernández.Nasralla foi candidato de uma aliança com o Livre nas últimas eleições de 2017, nas quais Hernández, do Partido Nacional (PN, direita), foi reeleito, num processo que teria sida fraudulento, segundo a oposição.Na época, Castro colocou de lado sua aspiração presidencial em favor de Nasralla.”Hoje é minha vez de retribuir para que ela seja candidata”, acrescentou Nasralla, um popular apresentador de televisão e jornalista esportivo.”Acabou a festa da ditadura, seu tempo acabou (…) Honduras precisa de um coração de mulher para governar”, acrescentou Castro, cujo marido foi deposto em um golpe em 2009 por militares e civis por sua aliança com o mandatário venezuelano Hugo Chávez.Castro, Nasralla e o candidato da situação, o prefeito de Tegucigalpa, Nasry “Tito” Asfura, lideraram as intenções de voto nas pesquisas nas últimas semanas.Nas eleições gerais, 14 partidos políticos tentarão eleger um presidente para os próximos quatro anos -a partir de 27 de janeiro-, deputados e prefeitos.