Del Rio (Estados Unidos) (AFP) – O secretário de Segurança Interna dos Estados Unidos, Alejandro Mayorkas, afirmou nesta segunda-feira (20) que as alegações de maus-tratos a migrantes haitianos por policiais montados na fronteira do Texas com o México serão investigadas.Mayorkas disse que agentes a cavalo tentaram controlar o fluxo de milhares de migrantes que cruzavam o Rio Grande do México para Del Rio, no Texas.Imagens do fotógrafo Paul Ratje, da AFP, e vídeos postados nas redes sociais mostraram policiais montados balançando as rédeas para desencorajar os migrantes de cruzar o rio.Ratje afirmou que muitos haitianos tentaram cruzar o rio várias vezes para conseguir comida para suas famílias e foram impedidos pelos cavalos.”Muitos começaram a correr para tentar escapar dos cavaleiros e um dos policiais fotografados agarrou um pela camisa e o virou enquanto o cavalo trotava em círculos”, relatou Ratje sobre uma das fotos.- Sob investigação -Muitas pessoas disseram na web que as imagens as lembravam dos dias em que policiais montados ou carcereiros chicoteavam afro-americanos.”Vamos investigar os fatos para verificar a situação e assim entendê-la”, declarou Mayorkas aos repórteres.“Se houve algo de diferente, responderemos apropriadamente”, continuou.A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, confirmou ter visto as imagens.”Não tenho todo o contexto. Não consigo imaginar em que contexto isso seria apropriado. É horrível de assistir”, admitiu.A polêmica estourou enquanto o serviço de vigilância fronteiriça dos Estados Unidos luta contra o fluxo maciço de migrantes que procuram entrar ilegalmente no país; a maioria deles haitianos.- Informação falsa -Os migrantes se tornaram uma crise para o governo Biden.Falando de Del Rio, Mayorkas afirmou que os migrantes haitianos estavam recebendo informações falsas sobre como se estabelecer nos Estados Unidos.O secretário de Segurança Interna adiantou que o governo aumentará os voos de repatriação para haitianos e que as autoridades americanas consideram seguro devolvê-los a seu país.Os haitianos, segundo Mayorkas, foram erroneamente informados de que podem permanecer nos Estados Unidos como refugiados sob o “Status de Proteção Temporária” (TPS) devido à turbulência política no Haiti e ao recente terremoto que devastou o país.”Estamos muito preocupados que os haitianos que embarcam neste caminho de migração irregular estejam recebendo informações falsas de que a fronteira está aberta ou que o status de proteção temporária está disponível”, disse Mayorkas.”Reiteramos que nossas fronteiras não estão abertas e que as pessoas não devem empreender essa jornada perigosa. Se você entrar ilegalmente nos Estados Unidos, será deportado”, resumiu.O TPS esteve disponível por anos para os haitianos que ficaram nos Estados Unidos após o grande terremoto de 2010. Após o agravamento da crise política com o assassinato do presidente Jovenel Moise, em julho, o TPS foi estendido a todos os haitianos que estiveram nos Estados Unidos em ou antes de 29 de julho.”Ninguém que tenha chegado na semana passada será elegível para obter o TPS”, insistiu Mayorkas, considerando razoável devolver essas pessoas ao seu país.”“Fizemos uma avaliação com base nas condições do país.O Haiti pode receber pessoas com segurança”, concluiu Mayorkas.