O Palácio Nacional de Pena, em Sintra, é um dos monumentos mais visitados de Portugal | AFP

Museus, varandas dos cafés e escolas de ensino médio de Portugal voltaram a abrir, nesta segunda-feira (5), após dois meses de fechamento, na segunda fase do plano de desconfinamento do país, duramente atingido pela covid-19 no início do ano.

Depois da reabertura das escolas primárias em 15 de março, nesta segunda-feira foram os alunos do ensino médio que voltaram às salas de aula.

Os demais setores que retomarem as atividades deverão seguir rígidas normas sanitárias.

As reuniões estão limitadas a quatro pessoas por mesa nos terraços, e os museus terão de adaptar seus horários. Nas academias, as aulas coletivas não estão autorizadas.

“Esperamos receber muito poucos visitantes”, já que não há turistas estrangeiros, explicou à AFP António Nunes Pereira, diretor do Palácio Nacional da Pena, na vila turística de Sintra, a cerca de 30 km de Lisboa.

Segundo ele, haverá uma “verdadeira retomada” no verão (inverno no Brasil), quando “o processo de vacinação estiver mais avançado na Europa”, e as restrições de viagens forem reduzidas. Muito menos afetado do que outros países europeus durante a primeira onda da pandemia, Portugal teve de enfrentar uma explosão de casos depois das festas de fim de ano.

Os hospitais ficaram saturados, e o governo impôs um segundo confinamento geral em meados de janeiro. Uma semana depois, as escolas foram fechadas.

AFP