Oscar 2021: nada de Zoom ou jeans e sob o comando de um diretor experiente | Foto: AFP

Sem discursos no Zoom, sem jeans e comandado por um diretor experiente: o Oscar deste ano, afetado pela pandemia, começou a tomar forma nesta sexta-feira (19).

O evento, em 25 de abril, que encerrará uma temporada de premiações de Hollywood muito atrasada em relação ao calendário dos anos anteriores, será realizado em Los Angeles com muitos cuidados sanitários e testes de covid para os indicados e seus convidados.

O Oscar será dirigido pela sexta vez por Glenn Weiss, o especialista em espetáculos ao vivo vencedor do Emmy, e produzido por uma equipe que inclui o diretor de “Contágio”, Steven Soderbergh, informou nesta sexta-feira a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, que entrega as estatuetas.

“Nosso plano é que o Oscar deste ano pareça um filme, não um programa de televisão, e Glenn adotou essa abordagem e apresentou suas próprias ideias sobre como alcançá-la”, disseram Soderbergh e seus colegas produtores em nota.

O presidente da Academia, David Rubin, confirmou esta semana que a cerimônia acontecerá em dois locais: na histórica Union Station, no centro de Los Angeles, e no tradicional local da cerimônia de gala, o Dolby Theatre, em Hollywood.

Em carta enviada aos indicados, que vazou na imprensa especializada de Hollywood, os nomeados foram informados de que não haverá opção de aceitar os prêmios por videoconferência, como aconteceu recentemente com o Globo de Ouro.

“Faremos o nosso melhor para proporcionar uma noite segura e agradável para todos vocês pessoalmente, bem como para milhões de fãs de cinema em todo o mundo, e acreditamos que o virtual diminuirá esses esforços”, escreveram os produtores.

Ao incentivar os indicados a comparecerem a “um evento íntimo e pessoal” na Union Station, os produtores garantiram às estrelas que haverá um sistema de teste “para garantir resultados atualizados” sobre a covid-19.

Os “elementos adicionais do evento” serão apresentados no Dolby Theatre em Hollywood, disseram eles.

Os Grammys foram entregues pessoalmente em Los Angeles no fim de semana passado, em um programa elogiado por muitos telespectadores, embora o número de visualizações tivesse uma queda contínua.

Em uma aparente alusão a trajes descontraídos vistos na cerimônia do Globo de Ouro, os produtores do Oscar consideraram o formal “totalmente genial”, dispensando o “informal”.

O Oscar deste ano foi adiado depois que a pandemia de covid-19 forçou um ano atrás o fechamento dos cinemas, mudou a programação de estreias de Hollywood e suspendeu indefinidamente os eventos ao vivo.

As infecções por covid-19 diminuíram nas últimas semanas na Califórnia, e os cinemas em Los Angeles reabriram com capacidade limitada esta semana, após um ano inteiro fechados.

Foto: AFP