Foto/Reprodução: Internet

Na última terça, 9 de fevereiro, mãe e filha, de 44 e 21 anos, foram resgatadas após serem mantidas em cárcere privado por seis anos e também em condições análogas à escravidão em um sítio nas proximidades da BR-343, na zona rural de Floriano, Sul do Piauí.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, as duas trabalhavam na propriedade, onde eram proibidas de sair e faziam o trabalho doméstico, além da limpeza do sítio. Uma mulher denunciou a situação e informou os detalhes a policiais que realizavam uma fiscalização de rotina na região.

De acordo com a PRF, as vítimas foram convidadas para trabalhar no local pelo proprietário, que prometeu o pagamento de um salário mínimo e cesta básica em troca dos serviços domésticos. Segundo a polícia, as mulheres relataram nunca ter recebido a quantia acertada. Também disseram serem constrangidas e proibidas de deixarem a propriedade.

Após serem resgatadas pela polícia, a mãe e a filha foram encaminhadas ao Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas). O Ministério Público do Piauí deve ouvi-las e oferecer a denúncia do caso à Justiça.

O proprietário poderá responder por sequestro e cárcere privado das mulheres e por submetê-las a trabalho análogo à escravidão.