(Arquivo) O Carrefour Brasil possui 489 unidades no país e afirma que atende 45 milhões de clientes | AFP

Líder no setor de distribuição de alimentos no Brasil, o Carrefour reforçará sua presença no país com a compra do Grupo Big, número três do setor, por 1,1 bilhão de euros (1,3 bilhão de dólares) – anunciou a empresa francesa nesta quarta-feira (24).

“Nosso grupo passou à ofensiva”, anunciou o CEO da empresa, Alexandre Bompard, em um comunicado, ao destacar que a operação é parte da estratégia de crescimento exterior do grupo, baseada em “consolidar a presença em mercados-chave”, como o Brasil, onde o Carrefour está presente desde 1975.

A operação acontece dois meses depois do fracasso da fusão do Carrefour com o grupo canadense Couche-Tard. Ao apresentar os resultados anuais, a empresa francesa anunciou que reforçará sua posição “onde já estava presente”. O Brasil é o primeiro objetivo da estratégia.

“Aumentamos há três anos nossa liderança no mercado de distribuição de alimentos neste país, que tem imensas perspectivas de desenvolvimento”, disse Bompard.

O Grupo Big, ex-Walmart no Brasil, possui uma rede de 387 lojas. O volume de negócios em 2020 foi de 24,9 bilhões de reais (4,491 bilhões de dólares).

O Carrefour Brasil possui 489 unidades no país e afirma que atende 45 milhões de clientes.

Unidos, o Grupo Carrefour Brasil e o Grupo Big terão um volume de negócios de quase 100 bilhões de reais (18 bilhões de dólares). Em conjunto, os dois grupos terão 876 lojas e quase 137.000 funcionários.

Complementares

O comunicado do Carrefour afirma que os dois grupos juntos alcançarão uma “poderosa complementaridade geográfica”, e isto permitirá ao Carrefour Brasil chegar a regiões “onde até agora tem uma presença limitada, como o Nordeste e o Sul do país”.

As regiões têm um potencial de crescimento importante, afirma o grupo em sua nota.

Esta é a maior aquisição do Carrefour desde que Bompard assumiu o comando do conglomerado em 2017.

Para a empresa, a compra oferecerá vantagens importantes a partir do primeiro ano, que será reforçada “progressivamente até alcançar uma contribuição líquida no lucro operacional líquido de 1,7 bilhão de reais (307 milhões de dólares) adicionais por ano, três anos após a transação”, afirma o texto.

A aquisição será feita em 70% com dinheiro, e 30%, por meio de ações de nova emissão do Carrefour Brasil.

“Com esta transação, o Carrefour Brasil terá investido mais de 15 bilhões de reais (2,718 bilhões de dólares) desde 2019 (no Brasil), contribuindo diretamente para o desenvolvimento social e econômico do país: concretamente, com a criação de milhares de postos de trabalho e oferecendo mercados aos produtores locais”, afirma o grupo.

A operação precisa da aprovação do CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) e dos acionistas do Carrefour Brasil. A transação deve ser concluída em 2022.

Em novembro do ano passado, o Carrefour Brasil se viu envolvido em protestos contra o racismo após a morte de um homem negro que foi violentamente agredido por seguranças brancos em um supermercado do grupo em Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

Bompard condenou o crime e afirmou que o vídeo que mostrava as imagens da agressão letal era “insuportável”.

O Carrefour está presente em 130 países, com mais de 13.000 lojas. O grupo emprega 320.000 pessoas.

No ano passado, a empresa registrou volume de negócios de 78,6 bilhões de euros (92,8 bilhões de dólares).

AFP